5 Mitos da Energia Solar Que Você Precisa Conhecer


Energia solar é um dos assuntos mais comentados hoje no Brasil, todos querem saber como funcionam os sistemas que geram energia elétrica a partir da luz do sol e se eles realmente trazem a economia e demais vantagens anunciadas.

O assunto se espalha na boca da população na mesma proporção com que os sistemas são comercializados e instalados no Brasil, número que já ultrapassa os 53 mil geradores, segundo os dados oficiais da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Isso, no entanto, é bom e ruim ao mesmo tempo, pois embora muito se ouça sobre a energia elétrica solar, várias vezes essas informações vêm de pessoas que não conhecem a fundo o funcionamento da tecnologia e, assim, alguns mitos acabam sendo criados.

Mas é fato que alguns mitos são apenas construções do Vox Populi e não possuem nenhum embasamento real, razão pela qual listamos abaixo 5 mitos sobre os sistemas de energia solar que você precisa conhecer antes de decidir pela compra do seu gerador. Confira:

#1 Sistemas Solares Não Geram Energia no Inverno
Esse é um dos mitos mais disseminados sobre a tecnologia e prova de quem não entende muito bem do assunto. Os sistemas de geração solar fotovoltaica não utilizam o calor do sol para gerar energia, mas sim a sua luz. Desse modo, mesmo que no inverno os dias costumem ser mais curtos e a luz não chegue com tanta intensidade, o sistema ainda irá gerar energia.

#2 Sistemas Solares Requerem Muita Manutenção
Mentira. Um sistema bem projetado e instalado irá demandar, no máximo, uma revisão por ano, necessária para que se acompanhe as condições de cabeamento e segurança dos equipamentos. Fora isso, a limpeza do painel também pode ser necessária, mas apenas para lugares com muita poeira e sem chuva, uma vez que esta já se encarrega desse trabalho.

#3 Sistemas Solares Geram Muito Ruído
Outra grande falácia. Diferente dos geradores a diesel ou até mesmo eólicos, os sistemas fotovoltaicos não geram energia através de processo mecânico, mas sim por meio de um efeito de fotoemissão totalmente silencioso que acontece no interior de cada célula fotovoltaica contida dentro da placa solar.

#4 É Possível Fabricar e Instalar Um Sistema Caseiro
Verdade e mentira. Embora existam sim vídeos e manuais que expliquem a fabricação de placas de energia solar caseiras, você não irá conseguir utilizá-las em sua casa da mesma maneira que um painel comercial. Isso porque, para poder ser conectado à rede da distribuidora e participar do sistema de créditos energéticos, o sistema deve conter somente equipamentos com número de registro e selo de qualidade do INMETRO.

#5 O Painel Solar É Muito Frágil e Quebra Fácil
Imagine uma pedra de grazino do tamanho de uma bola de golge. Seria um belo estrago se caísse sobre o seu carro, não? Mas fique tranquilo que sobre o seu painel solar ele não irá causar nem um arranhão. Mas é claro, as placas são feitas para ficarem expostas ao ar livre e, por isso, são fabricadas para suportar as mais variadas condições climáticas. Ou seja, mesmo que esteja “caindo o mudo” lá fora, o seu painel ainda estará salvo.

 

Fonte: BlueSol – Energia Solar
Mgapress Assessoria de Comunicação

NeoSolar aumenta faturamento em 60% em menos de um ano

A capacidade instalada de energia solar no Brasil deve fechar 2018 com 2,5 gigawatts, segundo dados divulgados em agosto pela Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar). Por causa desses números, mais empresas do setor têm crescido exponencialmente. É o caso da NeoSolar, empresa paulista com quase 10 anos de mercado, que vem desbravando este espaço em várias vertentes.

A marca, que em 2018 viu seu faturamento em energia solar crescer 60%, também alcançou o número de 2000 alunos em seu centro de treinamento em energia solar fotovoltaica, além de se estabelecer como a principal fornecedora do país de carregadores para veículos elétricos, mercado em que atua desde 2016. A venda e instalação de carregadores já representa 3% do faturamento total da marca, que em virtude da greve dos caminhoneiros viu a possibilidade de os elétricos virarem notícia e ganharem a atenção do grande público.

Para 2019, além de investimentos em marketing e lançamentos de novos produtos, a NeoSolar tem como principal objetivo ampliar seu programa de parceiros regionais intitulado de NeoSolar Pro. No programa, a marca auxilia estes parceiros que realizam venda e instalação, oferecendo treinamentos, engenharia, equipamentos e suporte em marketing.

O programa de parcerias se iniciou em 2016 com a unidade de Campo Grande – MS, que vem crescendo ano a ano e dobrou suas vendas em 2018, servindo de modelo para a expansão que hoje já atingiu a marca de nove unidades regionais.

A marca que inaugurou seu novo centro de treinamentos em 2016 vem ampliando sua estrutura física e hoje oferece 10 diferentes cursos, tanto em energia solar como em infraestrutura de recarga para veículos elétricos. Hoje são capacitados, presencialmente, em média, 300 alunos por semestre, incluindo tanto empresários e engenheiros como instaladores e projetistas. “A demanda por qualificação aumenta a cada ano e a NeoSolar acredita muito no potencial da formação técnica como meio de viabilizar o crescimento sustentável do mercado”, reitera Raphael Pintão, sócio-diretor da NeoSolar.

Para a NeoSolar, a mudança de governo aponta para uma aceleração do mercado. “Sentimos os empresários mais confiantes, tanto na energia solar com destaque para pequenas e médias empresas como também nos carregadores para veículos elétricos, onde somos cada vez mais procurados por empreendimentos como shoppings, coworkings e construtoras”, acrescenta Pintão.
No e-commerce da marca os números também não param de crescer. Em 2018, as vendas aumentaram 35% e hoje representam relevantes 20% das receitas da empresa.

A marca planeja crescer pelo menos 40% em 2019, e o destaque ficará para o plano de expansão da rede de parceiros na geração distribuída, novas soluções e produtos para sistemas isolados (off-grid) e consolidação da marca no mercado de carregadores para veículos elétricos.

__

Sobre a NeoSolar – A NeoSolar está presente há quase 10 anos no mercado de energia, oferecendo equipamentos e serviços para energia solar fotovoltaica e infraestrutura para recarga de veículos elétricos.
Foi a primeira empresa a instalar um sistema de energia solar conectado à rede elétrica no Estado de São Paulo e é a principal distribuidora de equipamentos para sistemas offgrid do Brasil.

Além da sua atuação com energia solar, a NeoSolar também é pioneira e líder de mercado em infraestrutura para mobilidade elétrica.

A NeoSolar também oferece cursos em sua sede, em São Paulo, onde possui um completo centro de treinamentos para energia solar e mobilidade elétrica. Mais de 2.000 profissionais já foram capacitados pela empresa.

Fonte: NeoSolar Energia.

ABB contribui para expandir conhecimento em robótica e automação digital no Brasil

Investimento de R$ 1 milhão no Centro de Treinamento de Robótica, na fábrica de Guarulhos (SP), deve triplicar o número de profissionais treinados em tecnologias avançadas de automação

Pioneira em tecnologias digitais e de automação, a ABB anuncia hoje o investimento de R$ 1 milhão para a expansão do Centro de Treinamento de Robótica (CTR), localizado no complexo industrial da companhia em Guarulhos (SP).

O espaço foi criado para fornecer experiências de treinamento prático em soluções avançadas de automação robótica para a crescente base industrial brasileira. O Centro de Treinamento de Robótica (CTR) da ABB irá unir a robótica colaborativa de última geração às mais recentes inovações em tecnologia, consolidando-se como um importante centro de treinamento na América Latina.

Com o avanço da indústria 4.0 no Brasil e no mundo há um considerável ganho em produtividade. A partir das novas tecnologias digitais, por exemplo, os sistemas de robôs industriais modernos não precisam ser desligados para programação ou otimização, e os engenheiros podem realizar simulações com ferramentas de programação offline, usando o mesmo software que executa os robôs na produção.

Para tornar esse cenário ainda mais promissor, é fundamental que exista capacitação direcionada aos profissionais especialistas dessa área de atuação, como os roboticistas, engenheiros, programadores e técnicos – talentos com habilidades ainda raras no mercado nacional.

A dinâmica do atual mercado consumidor e a maneira como isso reflete na indústria requer maior agilidade em processos e na fabricação automatizada. Há uma crescente demanda por volumes superiores de produto, ciclos de vida mais curtos, prazos de entrega menores e uma tendência crescente para personalizar produtos. O mercado automotivo é o maior consumidor de robôs no Brasil, cerca de 70% das unidades são para este mercado.

Com a expansão, a ABB tornará o Centro de Treinamento de Robótica (CTR) um local estratégico para o ensino e a capacitação dos profissionais que vão atuar diretamente no mercado de automação e robótica colaborativa. Este é um dos caminhos para o país fortalecer sua atuação no mercado local e se tornar mais competitivo globalmente.

De acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços do Brasil, menos de 5% das empresas do país se enquadram no conceito da Indústria 4.0. A ABB é signatária da Aliança Brasil 4.0, um pacto público entre empresas do setor industrial e de tecnologia que tem por finalidade ampliar a digitalização no país. O objetivo é que a digitalização entregue produtividade, redução de custos operacionais e segurança para trabalhadores e processos.

O Centro de Treinamento de Robótica (CTR) recebe, em média, 500 alunos por ano, incluindo estudantes de engenharia e profissionais das indústrias automotiva, de alimentos e bebidas, papel e celulose e metais. A ABB espera triplicar o número de profissionais treinados no próximo ano. Os cursos ministrados misturam prática e teoria, desde introdução básica de robótica a tecnologias digitais avançadas, como simulação virtual.

O local também treinará pessoas para soluções de automação colaborativa, nas quais humanos e robôs trabalham juntos e até compartilham tarefas. Isso aumenta a flexibilidade para ajudar as fábricas a incorporar mudanças de customização em massa de produtos em muitas indústrias.

O investimento reforça o compromisso da ABB em apoiar as necessidades da indústria, de eletrificação, transporte e infraestrutura do Brasil, especialmente os avanços em tecnologias digitais. “A manufatura está ficando cada vez mais digital. No Brasil, precisamos desenvolver uma base de talentos com habilidades tradicionais de automação robótica, bem como a capacidade de trabalhar com tecnologias digitais avançadas e inteligência artificial”, disse Julio Roggero, Head da divisão Robotics and Motion da ABB no Brasil.

O investimento da companhia inclui a reforma e a expansão das instalações do centro, a criação de um novo espaço para colaboração e networking entre os alunos, bem como novos robôs, equipamentos de última geração e treinamento para os instrutores.

Serviço - Cursos de Robótica na ABB

Cursos oferecidos: operação, programação e comissionamento, manutenção elétrica, manutenção mecânica, processos e outros.

Local: Centro de Treinamento de Robótica - ABB Guarulhos - São Paulo

Contato: Ricardo Santos (ricardo.santos@br.abb.com)

A ABB (ABBN: SIX Swiss Ex) é líder de tecnologia pioneira em produtos de eletrificação, robótica e movimento, automação industrial e elétrica, atendendo a clientes em concessionárias de serviços, indústria, e transportes e infraestrutura global. Dando continuidade a uma história de inovação, abrangendo mais de 130 anos, a ABB, hoje, está escrevendo o futuro da digitalização industrial com duas claras propostas de valor: trazer a eletricidade de qualquer usina para qualquer tomada e automatizar indústrias de recursos naturais até produtos acabados. Como parceira no título da ABB Fórmula E, a classe internacional de automobilismo totalmente elétrico da FIA, a ABB está ampliando as fronteiras da mobilidade ao contribuir para um futuro sustentável. A ABB opera em mais de 100 países com aproximadamente 147.000 colaboradores. www.abb.com

Fonte: ABB

Festo comemora 50 anos de Brasil

A Festo comemora 50 anos de Brasil. Empresa alemã fundada em 1925, líder em automação industrial, que mantém um setor de inovação especializado no desenvolvimento de robôs inspirados em animais e nos movimentos da natureza. Seu desenvolvimento é baseado nos mais modernos conceitos de produção com a mais moderna tecnologia em Inteligência Artificial.

O sistema é chamado Bionic Learning Netwok. Esta área de aprendizado biônico reúne biólogos, designers, engenheiros, universidades, institutos, empresas de desenvolvimento e inventores e já criou diversos animais robóticos.

.

Udacity um novo conceito, uma escola do futuro !

Udacity é uma empresa criada através de um experimento criado por Sebastian Thrun e Peter Norvig que oferecia um curso gratuito de “Introdução à Inteligência Artificial”. Foi um sucesso, com mais de 160 mil alunos inscritos, a partir dai resolveu se criar uma empresa em 2011 chamada Udacity. A empresa conta com parceiros de peso como Facebook e Amazon. Depois de alguns anos foi criado um curso chamado Nanodegree. Esse curso ensina somente o que é usado na especialização da área que o aluno está sendo preparado. Diferente da tradicional faculdade aonde é dado matérias que nunca são usadas em sua especialização.

Algumas características do Nanodegree
Quando você acaba o curso, recebe metade do dinheiro gasto. E normalmente o curso demora menos de um ano.
As aulas são divididas em vídeos com duração menor que 4 minutos. Assim você pode fazer um intervalo quando quiser.
Os cursos são criados por empresas idôneas, como Google, Facebook, Amazon, Mercedez-Bens ou GitHub. E você poderá ser contratado por estas empresas.
Hoje Udacity é reconhecida internacionalmente por grandes empresas.
Em Udacity você encontra cursos confiáveis e específicos com um preço acessível, em média R$ 400,00 por mês. Mesmo assim são oferecidos cupons de desconto.
Quando você termina o curso, ou é absorvido por uma empresa do grupo ou tem suporte para confeccionar seu currículo.

Na época que o mundo não era “on-line” e Steve Jobs era hacker !!!

Essa entrevista de Steve Jobs, estava gravada em uma fita VHS que estava jogada em uma garagem que foi recuperada recentemente e disponibilizada na Internet. Nesta entrevista Jobs relata ter construído uma caixa azul (Blue Box) que fazia ligações internacionais gratuitas.

Com isso ele percebeu que era possível construir uma coisa pequena que podia controlar algo monstruoso !

Até o anos 90 uma ligação internacional custava uma fortuna ! O mundo começava a ser digital e não era “on-line” !!!
Nesta época as BBS (Boletins Board Systems) que eram redes de computadores locais se comunicavam com outras redes através de linhas telefônicas. Como eram mandados os e-mails ? O usuário postava um e-mail num BBS, e esse BBS fazia um pacote de todos os e-mails postados naquele dia e a noite ligava para um computador que reunia todos os e-mails da aquela cidade. Esse computador depois de reunir todos os e mais das BBS das cidades mandava pra um que reunia os e-mails de todos os estados e depois de todo o pais. Em seguida era feita uma ligação internacional para trocar todos os e-mail do pais. Essa ligação que custava uma fortuna e era feita com um software chamado Blue Beep que fazia essa ligação gratuitamente, a mesma coisa que fazia a caixa de Steve Jobs. Nesta época surgiu uma placa de som chamada Sound Blaster que reproduzia esse som com o Blue Beep. Era só ligar para uma telefonista internacional e disparar esse som. Voilá !!! Agora você podia ligar para qualquer número do mundo gratuitamente. Deste modo, Steve Jobs chegou a ligar até para o Papa!

Pulo do Gato
Jobs ouviu que um tal de Captain Crunch tinha conseguido fazer ligações internacionais gratuitas. Pesquisando numa publicação técnica descobriu a chave do mistério. A AT&T cometeu um erro planejando toda sua rede de comunicação entre dados usando a mesma frequência da voz humana. Por isso bastava reproduzir os sons nesta frequência com o código para desbloquear o satélite e a partir dai fazer ligações sem nenhuma tarifação.

Apartir de 1995 com as conexões permanentes de linhas digitais dedicadas surge a Internet e o mundo começa ficar “on-line”. Com isso as ligações internacionais começam a ficar cada vez mais baratas.

Olly AI o primeiro robot caseiro com personalidade !

Imagine você chegando em casa e um robot analisa seu olhar e começa a tocar a sua música preferida para aquele momento. O robot faz um pedido de sua pizza no delivery ou lembra de algum compromisso marcado em sua agenda. Ou dependendo do clima toca uma música que te acalma ou coloca uma iluminação relaxante ou te sugere aumentar a temperatura ambiente para você perca peso e ganhe músculos. Te incentiva na hora de fazer exercícios. Ele sabe aonde está e conversa. Pode simplesmente bater um papo ou te chamar na hora de acordar. Ele te conhece, tem sentimentos, antecipa suas necessidades e tenta te ajudar.
Esse é Olly AI um produto da Emotech que deve custar entre 500 a 800 dolares.

 

 

Conheça Sophia, um robot feminino.

Sophia é uma das últimas tecnologias em robótica. Neste video Sophia vai conhecer o novo Audi AI, que está equipado com um sistema de navegação completamente automático chamado Jack Self Driving by Audi. No video Sophia aparece batendo um papo com Dr Klaus Verweyen sobre o sistema Jack.

 

Fonte: Hanson Robotics

Além do avião, Brasil inventou o primeiro Drone !!!

Convertiplano ITA

Em 1952 no ITA em São José dos Campos nasce uma aeronave precursora do Drone atual !!!

Depois de mais de 50 anos do voo de Alberto Santos-Dumont, nasceu no Brasil em 1952, em São José dos Campos, interior de São Paulo num programa dirigido pelo alemão Hendrich Focke o Convertiplano. Uma aeronave parecida com os drones que fazem tanto sucesso atualmente.

 

 

 

 

 

Veja no Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, que apresenta, em parceria com o Instituto Embraer, o universo de criação do design nacional para artefatos concebidos para voar. A abertura é dia 1º de junho, às 19h30 com entrada gratuita, e a exposição permanece em cartaz até 20 de agosto.

 

 

 

 

Fonte: Aero Magazine

 

 

 

Google diz que só vai usar energia renovável em 2017.

google2O Google fez um anúncio audacioso. Em um comunicado publicado em seu próprio blog, ele diz que usará somente energia renovável em 2017.

É uma afirmação surpreendente, considerando o volume de dados que o Google processa a cada segundo. O Google não divulgou publicamente a quantidade de dados que é, mas se considerarmos que 40.000 de buscas do Google ocorrem a cada segundo e 400 horas de vídeos do YouTube são carregados a cada minuto, começamos a ter uma impressão da incrível escala do poder de processamento da tecnologia Gigante que precisa operar todos os dias.

O Google tem investido em energia renovável por anos, esclarecendo em um blogpost que isso não só ajuda na batalha contra a mudança climática, mas também “faz sentido comercial”. Até o próximo ano, os vastos centros de dados do Google nos Estados Unidos, Chile, Taiwan, Cingapura, Irlanda, Países Baixos, Finlândia e Bélgica serão geridos 100 por cento em energia renovável, bem como em todos os seus escritórios globais. Em termos reais, no entanto, “alcançar 100 por cento de energia renovável” não significa solar e energia eólica estará alimentando diretamente cada elemento das máquinas do Google. Isso significa que, anualmente que Google estará comprando de energia renovável o quanto está usando de eletricidade. Isso não é emocionante, mas é um grande passo.

“Nós assinamos nosso primeiro acordo para comprar toda a eletricidade de um parque eólico de 114 megawatt em Iowa, em 2010. Hoje, somos o maior comprador corporativo de energia renovável do mundo, com compromissos de 2,6 gigawatts (2.600 megawatts) de energia eólica e solar energia.

Mais uma vez, apelando para a perspicácia comercial dos cínicos lá fora, o Google aponta para as recentes quedas dramáticas no preço da energia eólica e solar: “Os custos de eletricidade são um dos maiores componentes de nossas despesas operacionais em nossos data centers e tendo Um custo estável a longo prazo de energia renovável oferece proteção contra oscilações de preços na energia “.google1

Seus próprios investimentos em infra-estrutura em energia renovável totalizam US $ 3,5 bilhões em todo o mundo, diz. “Esses projetos também geram dezenas de milhões de dólares por ano em receita para os proprietários locais e dezenas de milhões mais para os governos locais e nacionais em receita fiscal”.

O Google também diz que quer investir mais nas áreas onde residem seus centros de dados e suas maiores sedes, fazendo “compras regionais de energia renovável”.

“Como o vento não sopra 24 horas por dia, também vamos ampliar nossas compras para uma variedade de fontes de energia que podem permitir energia renovável, a cada hora de cada dia. Nosso objetivo final é criar um mundo onde todos – e não apenas o Google – tenham acesso a energia limpa “.

“A ciência nos diz que enfrentar as mudanças climáticas é uma prioridade global urgente. Acreditamos que o setor privado, em parceria com as líderanças políticas, devem dar passos ousados e que podemos fazê-lo de forma a gerar crescimento e oportunidades. E temos a responsabilidade de fazê-lo para nossos usuários e ao meio ambiente. ”

Fonte: Wired –